segunda-feira, 19 de maio de 2008



Passei o dia querendo chorar,
Sem conseguir
Garganta apertada,
Pressão na cabeça

Passei o dia gritando,
Gritando para o mundo ouvir
Uma raiva absurda tomou conta de mim
Loucura de tudo
Tendo que persistir

Gritar não adianta
Com essa raiva que é tanta
Deus, vem me cobrir

Preciso de calma,
De serenidade
Aqui dentro de mim.

Não existe uma válvula
Qual será o escape?
Será utopia a minha paz?

45 Comments:

  1. sangue-sugas § said...
    tb passei hj um dia de cao, trabalhei a noite toda dormi mais da metade do dia e nao fiz nada do que devia ter feito, alem de tudo recebi a noticia que o concerto do meu carro vai ficar em 5 mil putz e agora esta na hora de ir trampar novamente.
    ta loco viu esta nossa vida é bem loca mesma.
    me indenfiquei muito com seu texto.
    http://sangue-sugas.blogspot.com/

    participe tb da nossa comunidade no orkut
    http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=31958902&refresh=1
    Rafael Zuchi said...
    Muito bonito isso que vc escreveu, parabéns.

    Beijo.

    Rafael Zuchi
    Fernanda Fernandes Fontes said...
    Seu post deveria ser entitulado "angústia"... a mesma sensação de um post meu q possui este título.

    Sobre a paz ser uma utopia...está me fazendo refletir!

    Abraços!
    Tati said...
    Adoro poesia, ainda mais quando é despretensiosa como a sua... assim fica mais bonito.
    Ana Lucia said...
    a paz não é uma utopia
    é fru nossos sentimentos positivos que conduzem às nossas realizações
    pensamentos bons, bons sentimentos...paz
    Tito said...
    Bacana! Que tensão é essa?
    LUCAS DE OLIVEIRA said...
    tem dias em que me sinto como neste poema acima!

    (como hoje por exemplo)...

    vontade de gritar...
    dia sem paz...

    utopia...

    parabens!
    blog
    show!


    abçs

    www.lucasjdeoliveira.blogspot.com
    blog said...
    A humanidade diante do próprio desespero, Mayna.
    De uns tempos para cá, acredito que todos se sentem assim (em maior ou menor grau). Alguns transformam isso em texto.
    Outros não podem fazer isso.
    ED CAVALCANTE said...
    SOU COMPLETAMENTE INCAPAZ DE COMENTAR POESIAS. MAS ESSES SEUS VERSOS ME SUGEREM PAZ E SERWENIDADE. VC DEVIA ESTAR FELIZ QUANDO ESCREVEU ISSO!
    Gi KrDoSo said...
    As vezes dá um desespero na gente mesmo...tá louco
    Fabio Bustamante said...
    mais um lindo texto no seu blog! e o trecho mais lindo é o que diz "gritar não adianta. Com essa raiva que é tanta. Deus vem me cobrir", nas horas de dor, desespero, apenas Deus pra acolher...e a imagem está muito bem relacionada ao texto(achei criativa). Gostei do texto "Acredite em seus sonhos", achei bem legal, e bem emocionante. afinal, o seu blog inteiro é emocionante! parabéns mais uma vez pelo blog!

    www.futebolediscussoes.blogspot.com
    Euzer Lopes said...
    Turbilhões...
    Emoções misturadas.
    Raiva, dor, fúria, desespero.
    Depois que desliga o liqüidificador das tempestades, o sol brilha, a água desturbilha, e tudo fica perfeitamente empilhado...
    Tempo! Só ele faz isso.
    Sombra, o Homem said...
    versos profundos!
    sim... profundo, não diria belo por se tratar de uma angustia...
    versos fortes... talvez não tão forte quanto a sua dor!

    parabéns!

    www.1irmao.blogspot.com
    www.tirashd.blogspot.com
    Lady Macbeth said...
    Se a raiva nos deprime nada melhor que expressá-la em forma de poesia e a sua é realmentre o reflexo de toda a angustia contida na alma, loucura e criatividade andam de braços dados, mas viva a loucura pois é dela que nós os intelectuais vivemos e somos perseguidos que o diga os grandes artistas que nos idos da ditadura tiveram seu grito de cultura serciado pela incapacidade intelectual de idiotas revestidos de autoridade burra que calaram a voz de muitos, portanto gritemos nossa indignação e insatisfação da maneira com que a cultura está sendo conduzida.
    http://acaoecultura.blogspot.com/
    Mayna Nabuco said...
    Respondendo:
    Fernanda - Você tem razão. Acho que seria um bom título.
    Fábio - Obrigada! Também adoro o seu blog!
    Euzer - Obrigada por todas as visitas. Sempre com uma palavra animadora.
    Ed Cavalcante - Não estava feliz. Estava com muita raiva mesmo, mas depois de escrever, me senti melhor.
    Niltinho de Freitas said...
    Me amarrei na poesia e no blog também.

    Um abração.
    kekedascully said...
    Gritar muitas vezes traz paz. Expor, colocar para fora a angústia nos fazer tirar o peso, a dor. Guardar, eu o sei, muitas vezes, mata-nos.
    Fabio Bustamante said...
    ja comentei aqui, então agora vou fazer um comentário do blog em geral, ok? é legal vc colocar um certo toque de romance nos poemas(os deixam muito mais lindos)! os seus poemas ainda nos transmite seus sentimentos, sua emoção...as lindas palavras, românticas ou críticas, são bem leves e verdadeiras!

    www.futebolediscussoes.blogspot.com
    ED CAVALCANTE said...
    GRITAR ADIANTA SIM, PELO MENOS SEGUNDO O DR. ARTHUR JANOV. ELE É O AUTOR DA "TEORIA DO GRITO PRIMAL" QUE ORIENTA AS PESSOAS A GRITAREM PARA CURAR OS MALES DO CORPO E DA MENTE!
    Pr. Cláudio Moreira said...
    Você transformou sua angústia em potência criativa. Que bom que não seguiu o caminho da mediocridade, que transforma angústia em força auto-destrutiva.
    Se todos fizessem assim, teríamos menos tristeza profunda na vida das pessoas e mais poesia.

    Visite, quando puder, o meu blog:

    http://umolharsobreaverdade.blogspot.com
    Everaldo Ygor said...
    Olá...
    Um intenso poema, um intenso grito, a válvula é a própria escrita, o pensamento que habita os varios eus dentro de nós... A Paz, a felicidade, verdades utopicas que procuramos sempre e as vezes encontramos em nossas linhas...
    Abraços
    Everaldo Ygor
    http://outrasandancas.blogspot.com/
    Rafael Tupiná said...
    AAA O GRITO alivia mt coisa

    bom texto moca


    da um look no meu blog tbm
    http://culturatups.blogspot.com/

    bjos
    Rafael Tupiná said...
    AAA O GRITO alivia mt coisa

    bom texto moca


    da um look no meu blog tbm
    http://culturatups.blogspot.com/

    bjos
    Feliciano Silva said...
    Bom,hoje a tarde me senti assim:fraco,com vontade de chorar gritar,e ate desistir de tudo,mas adorei o texto,tocou bem fundo na minha Aura Enigmatica

    abraço
    Su Reis said...
    acho que todo mundo as vezes acorda assim né?...meio assim sei la!!!
    mas é bom não deixarmos nos abater!!!
    chorar as vezes é bom!
    se cuida!
    Su
    Por Ricardo Cazarino said...
    ...um grito por um momento, um grito de tristeza, um grito de alegria...sem tantos que não combem em palavras...mas sempre há um escape...qual? cada um deve procurar o grito que te faz bem..
    até
    Fabio said...
    mt bom poema. Seu blog sempre tem otimos poemas!
    squirrel said...
    Quero gritar para eliminar as angustia q nem no poema descreve

    bjs
    Lizzie said...
    "Gritar não adianta". Sabes, isso me lembrou claramente Clarice Lispector: "Tenho direito ao grito, então eu grito!".
    E é assim.
    A serenidade é uma conquista diária, precisamos tê-la o tempo todo, e não temos nem por um minuto. É engraçado pensar nisso.
    E a paz não é utopia, ela começa de dentro pra fora, sempre.
    ;)


    Beijocas
    www.lizziepohlmann.com
    Thiago Borges said...
    Sim, o grito alivia meeeeeeeeeeeeeeeeeeesmo
    UHSAUHSAHUSHUASHUAHUSAUHSUH
    texto bem escrito ^^
    BiahH_TrixX said...
    Eu também sinto incontrolaveis vontades d gritar,mais o caos que se instalou na minha vida ,abafa minhas palavras e acho que ningume mais consegue ouvir .. =S

    Bjokas..
    posso por no favoritos??
    Ranger Vermelho said...
    Muita calma nesta hora kkkkkkkkkkkkkkkkk

    legal o texto parabéns

    http://rangervermelho.blogspot.com/
    Henriq said...
    as vezes me sinto assim tbm :x


    se puder visita:

    www.frieiracerebral.blogspot.com
    Fernando Gomes said...
    Aquele episódio fas famílias foi o mais interessante.
    Deu pra ver como as pessoas reagem quando alguém diferente se coloca na frente delas..

    Para a família das lésbicas foi normal pois elas já conviviam com aquela realidade, já para a família dos héteros foi um choque. Um deles aceitou numa boa, o outro foi bem intolerante.

    Apesar de tudo, A Shot at Love é uma boa forma de observar a convivência e aceitação de diferenças.

    Comenta aí:
    And I Said Goddamn!
    Esfinge said...
    A felicidade nem sempre é possível de alcançar mas a paz e serenidade sim.Muito bem escrito.

    Abraços!
    Jeff McFly said...
    Iji. Eu ia dizer que embora seja burro de pedra com relação a poemas, o texto tá bonito.

    Mas... como vc não quer este comentário... o layout está meio... Opa! Esse Também!

    :P

    Bjo, menina. Obrigado pelo comentário lá no Blg do Arroto. Volte sempre!
    Bruna Assis said...
    Lindo poema.. O poeta ilude quem lê, por um momento acreditei ser verdade, poderei até estar acreditando agora.. mas não importa.. seu poema ficou perfeito..
    Conquistadores (Didixy) said...
    Acho que devemos ter paciência, ela é uma grande virtude. Tendo paciência, você tem tempo para pensar com mais calma e tomar decisões corretas e que serão melhor para você.
    Ana Marques said...
    A raiva chega. Vem com força. Se você não a deixar fluir até acabar, ela te consumirá.
    Então, a paz virá, quando a madeira da raiva for consumida pelo fogo da redenção.

    A sua redenção ante a si mesma. Ante a realidade de que todos sentimos raiva, e é preciso conviver com ela, sem deixá-la tomar conta de nós.

    Beijos! Belo texto.
    Fábio C. Martins said...
    resumindo... Parem o Mundo que eu quero descer!
    Já estive em situações como essa, mas tudo acaba passando.

    Beijos
    Walmir said...
    gostei desse desabafo, ss vz nos consumimos de sentimentos que temos que botar para fora, por isso gritar, sair, dançar ou simplesmente sair caminhando po ae.
    Walmir said...
    ps gostei da figura ilustrando o post, representa bem o que tu escreveu.
    Marcos Costa Melo said...
    Ia comentar exatamente o que o colega falou acima, que a figura casa bem com o texto e isso é raro nas poesias que vejo na blogosfera.

    abs
    Jonas Bifes said...
    óitimo poema, parabens!!!!
    Mente said...
    Quem nunca passou por um dia desses, não é mesmo?

    Mas, li em algum lugar que deveriamos aprender a chorar como crianças. Já percebeu que elas soluçam de tanto chorar, berram, as lágrimas caem aos montes e basta mostrar-lhes um brinquedo e logo se destraem e esquecem o motivo do choro? Ou simplesmente adormecem com o rostinho todo molhado, numa serenidade só?

    Pois é, sento em um canto, penso em tudo que me entristece (na esperança de arrancar tudo de uma vez), choro como uma criança e se não adormeço logo em seguida me distraio com um item qqr.

Post a Comment




Free Blog Templates