sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

A PERDA...


Esses dias, devido a perda que tive, comecei a pensar na única certeza que temos nessa vida. A morte! Questionei o fato de sermos tão iguais e vivermos de maneiras tão diferentes.
Tento entender a razão pela qual, essa, ser a nossa única certeza, mas nunca
estarmos preparados para ela, principalmente quando se trata de alguém
próximo de nós.

Ela chega, sem escolher o dia e nem a hora.
Enleva num simples passo
Num ingênuo conjunto de passos.
Em um movimento...
Num batimento compassado,
De um coração que manifesta sua existência
Ela vem rápido ou de mansinho
Arrancando do convívio, levando embora
Não tem preferências
Não prefere os oprimidos aos opressores
Os sábios aos não sabidos.
A morte chega!
Não há os preferidos
Tudo fica inerte!
Tudo se vai...
A alegria, o amor, a esperança...
Restando apenas as lembranças...

22 Comments:

  1. adilson jorge said...
    Sempre penso: Realmente, nossa única certeza é a morte!

    Pensando assim, sou daqueles que se jogam sem medo. É comum, por comodismo, sei lá, não nos aventurarmos. Sabendo que a morte é a única coisa que não podemos combater - esses cientistas tentam e tentam, mas só conseguerem retardá-la - devemos viver sem medo das coisas, aproveitar cada minuto (é chover no molhado essa frase, mas ... rs).

    Para a morte, nada, para todas as outras coisas, entusiasmo. Viver é muito bom!

    Abraços,
    www.blogonews.blogspot.com
    Anônimo said...
    "Oh, pedaço de mim,
    Oh, metade arrancada de mim..."

    A dor da saudade é assim, um pedaço arrancado em quem fica.
    A lembrança daquele que se foi é nosso único conforto.


    Como tudo na vida, vai passar, amiga.
    Que em teu coração fiquem apenas lembranças agradáveis.

    Um abraço solidário a tua dor.

    Fada
    Safada
    Tatty said...
    Nossa! lindas palavras...axo ate q vou "roubar" algumas frases eheheh
    bjs

    www.bioblue.blogspot.com
    Gregory Vancher said...
    Não acho a morte algo tão ruim.
    É claro, sentimos a falta das pessoas e de nossos entes queridos mas, se a morte os arrancasse mesmo de nós, não teríamos nossas memorias e sentimentos bons em relação aos que se foram. Acredito na morte como uma espécie de evolução, onde apenas a matéria fica inerte.

    http://theothersideofthemask.blogspot.com/
    Nana Lopes said...
    Bem, sei do que fala, pois perdi minha mae ha pouco tempo. A impotencia frente a morte é algo agoniante mesmo...
    Lucas Schutz said...
    bem bonito poema...
    mas não podemos viver tristes temos que viver...

    _____________________________


    http://geradordeimprobabilidade.blogspot.com/
    Euzer Lopes said...
    Lindo, lindo o texto.
    Eu, no último ano (entre outubro de 2006 e fevereiro de 2007) perdi pai e irmão (eles estão na foto no alto do meu blog) e vi quanto difícil é lidar com isso.
    E não tem jeito. Não conseguimos aceitar, nem aprender como é que se faz.
    Só se aprende que tem de seguir em frente. E isso eu e minha mãe estamos fazendo...

    Adorei ler este texto ouvindo Evanescence
    Gabriel Novais said...
    ASuahsUHS!

    Legal bem serio..

    para quebrar o clima to lembrando do homem que disse que vai ressucitar e gastou um monte de seu dinheiro com um tumulo com TV e um monte de coisas!ASiajsIASJ!!
    Magazine ÓPe said...
    Realmente a separação é difícil...
    Arthurius Maximus said...
    Fernando Pessoa disse que a vida é uma estrada onde almas se encontram e se separam. E que a morte, é apenas uma curva nessa estrada. Morrer é só não ser visto.
    Calango Net News said...
    O seu poema está parecido com do poeta Alvares de Azevedo, em relatar situações, pensamentos e expressões de tristeza.

    Vivemos de maneiras diferentes sendo que todos são iguais. Realmente é confuso, mas essa é a vida, ou melhor, assim somos nós.

    A vida é fácil, difícil somos nós que a dificultamos.

    É correto escrever segundo seu sentimentos, mas em horas de dor, o certo é botar tudo para fora, de preferência para o papel, tudo de bom que viveu.

    Abraço!

    http://calangonetnews.blogspot.com/
    Marra Signoreli said...
    Se a única certeza da vida fosse a morte, toda a filosofia existente então não diz nada...

    Você tem talento com as palavras...

    Sinto pela sua perda.
    Lhaiza said...
    belo poema...
    infelizmente! essa eh a única e pior certeza q temoos!

    bj

    http://bandas-independentes.blogspot.com
    Maria said...
    A morte chega.. e todas as coisas como as conhecemos hoje deixam de existir. Tudo passa e a única coisa que perdura é a mudança...

    Espero que consiga superar logo a dor da perda.

    beijos
    Leandro Bastos said...
    belas frases
    belo post
    vc tem um jeito poetico literatio muito bonito.
    Simplificações e Complicaçoes do Mundo feminino said...
    Nossa seu blog é lindo, e a pouco tive que lidar com a morte da minha avo e até hoje ainda nao entendo, mas não tem solução pra isso mesmo, o importante é entender q a vida continua.
    Bjs.
    Zero said...
    é um belo e profundo texto!!!
    e a imagem deixou tudo ainda mais bonito apesar de triste!!!

    sinto muito pela tua perda!

    abraços e beijos!
    Mickey said...
    pois eh a certeza q tnhu eh q vou morrer algum dia, mas nao eh por caiusa disso q vou deixar d viver minha vida.....vlw


    passa no meu depois
    Isabella * said...
    Texto muito lindo e que representa bem o sentimento da perda!

    "A alegria, o amor, a esperança...
    Restando apenas as lembranças..."

    Nos resta encara da melhor maneira possível, pensando sempre nas melhores lembranças.
    Christopher said...
    Morte?
    não é o fim,
    não mesmo, o fim não existe, o fim é sempre o começo de algo novo. ^^
    FelixCatus said...
    Realmente, essa é a única certeza. Afinal, pra morrer, basta estar vivo!

    Força pra vc, menina!

    Beijos!
    Bella said...
    é verdade a única certeza que nós temos é a morte.Adorei o poema muito bonito.Visite o meu blog também:
    www.bellascoisas.blogspot.com

Post a Comment




Free Blog Templates