sábado, 26 de janeiro de 2008

ESPERANÇA VOLTA A BATER A PORTA


Carla era uma mulher desesperançosa com o amor, até conhecer Paulo. Duas pessoas completamente diferentes e com estilos de vida mais diferente ainda. Porém, mesmo com todas essas dessemelhanças ela sentiu que as coisas mudariam. No início Carla achou que seriam apenas amigos, bons amigos. Mas esses sentimentos foram mudando. Ela percebeu que amor finalmente voltou a bater em sua porta. Junto com esse amor, o medo também veio. Medo de amar e não ser correspondida e sofrer novamente.
Mas tanto Carla, quanto Paulo são cabeças duras e não dão o braço a torcer. Nenhum dos dois assumiam o que realmente sentiam um pelo outro. Só que dessa vez, ela não queria deixar a chance passar e timidamente resolveu investir nessa relação. Enquanto Paulo...Ele não sabia como agir perante a essa situação. Ela sabia que o sentimento era recíproco, mas ele parecia estar com medo de se entregar. Carla telefonava para Paulo e mandava e-mails, ele sempre atendia as ligações e quase sempre respondia aos e-mails. Mas ela, já estava cansada de tanto correr atrás. Carla achava que a procura deveria vir de ambas as partes. Mas isso não ocorria, então resolveu dar um tempo e voltar a sua vida normal. Quer dizer, a sua rotina. Novamente estava desesperançosa em relação ao amor.
Todos os dias ela fazia as mesmas coisas. Acordava, escovava os dentes, tomava café e um bom banho. Depois de tudo isso, se arrumava para ir trabalhar. Pegava todos os dias um ônibus, muitas vezes lotado e seguia para o trabalho. Essa viagem durava cerca de uma ou uma hora e meia, mas para não sentir o tempo passar sempre ouvia o seu MP3. Mas dessa vez ela acordou mais esperançosa. Achou que Paulo ligaria ou ao menos mandaria um e-mail. Carla não desgrudou do telefone um só minuto e o tempo todo verificava o seu e-mail. Mas nada. Nenhum sinal de Paulo. Ela só sabia o que se passava com ele, através dos amigos que tinham em comum. As horas foram passando e Carla voltou para casa. Quando chegou tomou um banho e foi deitar-se. Não conseguia dormir, ela só sabia pensar em Paulo e no que poderiam ter vivido juntos. No dia seguinte Carla fez as mesmas coisas, mas a esperança, ah... Essa já tinha ido embora. Quando chegou no trabalho e abriu o seu e-mail, teve uma surpresa. O que tanto esperou estava lá. Uma mensagem de Paulo. Ele dizia que estava com saudades. Não era nada demais. Porém essa simples palavra encheu novamente o coração de Carla de esperanças. Ela sentiu que as coisas agora seriam diferentes e resolveu abrir novamente seu coração para o amor.

1 Comment:

  1. Fernanda Miranda said...
    Muito boa a crônica...segunda vez q venho no teu blog hoje.
    Bjksss

Post a Comment




Free Blog Templates